Gestão de pessoas na indústria 4.0 o diferencial é o ser humano

As empresas podem ser preparar para a Indústria 4.0 se tornando mais ágeis em seus processos e decisões para serem mais competitivas, entretanto, vale salientar que dos níveis estratégicos aos operacionais, as pessoas são os principais agentes da transformação digital nas organizações.

A qualificação dos profissionais que irão programar máquinas complexas, implantar novos processos e principalmente, tomar decisões embasadas e em tempo real é um passo fundamental para a implantação do processo de gestão de pessoas indústria 4.0. e deve fazer parte da estratégia funcional da empresa.

Conhecer o processo de gestão de pessoas Indústria 4.0 é importante principalmente para gestores e empreendedores, afinal, na maioria das vezes, são eles os responsáveis por implantar as novidades na prática.

Em qualquer situação, para se manter em um mercado competitivo, as empresas precisam formar profissionais qualificados, para planejar, executar e gerenciar as inovações necessárias na Indústria 4.0, unindo inovação e tecnologia, isso se torna condição essencial. Importante também ressaltar que, além do conhecimento técnico é necessário estimular a criatividade, a proatividade e o gosto pela inovação.

Aderindo à Quarta Revolução Industrial ou a Indústria 4.0, as empresas terão processos mais ágeis, ambientes híbridos e maior espaço para profissionais qualificados.

Os processos ágeis têm o potencial de enxugar custos e aumentar os lucros, permitindo que demandas emergenciais sejam atendidas e os ambientes híbridos pedem grande flexibilidade dos profissionais e gestores, que precisarão lidar e coordenar times formados por humanos e robôs.

O diferencial é o ser humano, são eles que criam significado

No cenário gestão de pessoas Indústria 4.0, máquinas farão às atividades repetitivas, monótonas e que demandam grande esforço físico cabendo às pessoas as atividades estratégicas, a busca de soluções de problemas usando a criatividade, o pensamento analítico e inovativo, assim como, a inteligência social e a humanização do processo e da empresa como um todo, afinal máquinas não realizam algo para o qual não foram programadas, não sentem problemas, não olham no olho, não são empáticas, não avaliam o tom da conversa. Emoção, paixão, vibração são características típicas do ser humano e máquina nenhuma tem o poder de substitui-los.

O grande desafio, no entanto, é encontrar mão de obra qualificada. A ordem da busca dependerá da urgência do processo. Investir em profissionais internos, qualificando-os se necessário, é sempre uma boa opção. Esse profissional já conhece a cultura organizacional e essa ação indiretamente irá aumentar a motivação e engajamento de todo o time. Reconhecimento e investimento no pessoal interno é sem dúvida o grande diferencial de empresas vencedoras. Se não for possível, a saída, então, é buscar um profissional tecnicamente capacitado no mercado. Conte com a Vértico nas duas situações.

Aos gestores cabe a responsabilidade de entender como suas políticas afetam os colaboradores e de criar estratégias para implantar efetivamente a Indústria 4.0 com os objetivos de melhorar a experiência dos colaboradores e criar mudanças significativas nos resultados da organização.

Você está pronto?

Publicitário graduado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e especialista em Gestão de Negócios pela ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing. Atua como Diretor de Atendimento na agência iD. 360/biz, como Presidente de Imagem Pública do Rotary Club São Paulo Vila Alpina e como Facilitador de Inovação e Palestrante do CIESP – Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.